Assistimos a uma avalanche de não médicos e até médicos, sem treinamento suficiente, propondo condutas mirabolantes e promessas de resultados irreais

Você procuraria um encanador para consertar sua televisão? E o dermatologista para tratar seus dentes?  Creio que não, certo? Mas, como presidente da Sociedade Brasileira de Cirurgia Plástica (SBCP-MG), tenho acompanhado a perigosa exposição da sociedade a profissionais não preparados ou reconhecidos por seus Conselhos para realizarem procedimentos médicos – mesmo os ditos minimamente invasivos – passíveis de complicações e intercorrências. E o pior: além de não estarem preparados, não prestam assistência aos pacientes quando surgem as malfadadas complicações.

Assistimos, atualmente, a uma avalanche de não médicos – e algumas vezes, até de médicos – sem treinamento suficiente propondo condutas mirabolantes acompanhadas de promessas de resultados irreais. Para tanto, basta dar uma voltinha nas redes sociais – este veneno em nossa especialidade – mostrando fotos de pré e pós tratamentos apenas com belíssimos resultados, como se esses ocorressem em todos os casos. E omitindo efeitos moderados, ruins e até péssimos, que serão sentidos após o paciente ter sido iludido com falsas promessas. Como se saúde e felicidade pudessem ser comprados em um consultório.

O ato médico deve ser realizado de forma ética, responsável, baseada em evidências científicas, esclarecendo aos pacientes sobre prós e contras dos tratamentos propostos, seus valores, o porquê de realizá-los e as adversidades possíveis. E com a medicina estética não pode ser diferente em nome, também, do bem-estar emocional e social de quem a busca.

Considero essa área ainda mais complexa, pois devemos nos preocupar com as expectativas das pessoas. Nesse ponto mora o maior desafio: a medicina não é uma ciência exata e nenhum resultado pode ser prometido. Podemos e devemos, sim, prometer atenção, cuidado, precaução e conhecimento pleno daquilo que vamos realizar. E estarmos preparados para as adversidades, raras, mas que podem ocorrer.

Ao desejar tratar sua aparência corporal ou facial por meio de procedimentos que irão invadir a sua pele com agulhadasinjeção de medicamentoslaser e outros, procure um Dermatologista ou Cirurgião Plástico, que deverá ser, também, o profissional responsável por realizar a cirurgia plástica seja ela estética ou reparadora. E veja se ele tem o titulo de especialista na área que se propõe a atuar.

SBCP tem a função de prover formação adequada aos seus membros, de submetê-lo à prova de suficiência para obter o título de especialista após cinco anos de aperfeiçoamento pós faculdade, além de estar sempre atuante, por meio de de congressos, simpósios, jornadas cientificas, no aprofundamento do conhecimento de seus membros. Afinal, os resultados mais importantes que temos para atingir são os que proporcionam a saúde plena, ou seja, física, mental e bem-estar social a quem nos procura.

FONTE: SBCP

Leave a Reply

Your email address will not be published.Email address is required.